Aguapés retratam poluição na Represa do Bortolan

De volta para Blog

Aguapés retratam poluição na Represa do Bortolan

Aguapés retratam poluição na Represa do Bortolan

No lugar de uma paisagem que poderia ser um cartão-postal, está uma represa onde mal se pode perceber o espelho d’água. A visão é impedida pelos aguapés, que tomaram conta da superfície

De acordo com ambientalista, em pequeno volume são até bem-vindas, pois funcionam como uma espécie de filtro natural que ajuda na limpeza de pequenos poluentes que circulam na água.

Mas em grande quantidade é um indicador da poluição. O aguapé parece inofensivo, mas pode causar prejuízo ao meio ambiente já que encobre as águas, reduzindo o nível de oxigênio da água e não permitindo a sobrevivência dos peixes

A sobrevivência desse tipo de planta vem do alto índice de nutrientes orgânicos presentes na água, possivelmente resultado de esgoto doméstico. Se a represa estivesse limpa, o aguapé não sairia do lugar

Enquanto não houver consciência e a água doce não for foco de um debate longo de políticas públicas para salvar os rios, lagoas e represas, os aguapés vão se fazer presentes. O problema não são os aguapés, mas a contaminação dos nosso rios e represas

Yula Merola é farmacêutica, professora universitária e gestora pública da Prefeitura de Poços de Caldas (MG). Pesquisadora de pós-doutorado pela Unifal, doutora pela Unicamp, especialização em Farmácia Clínica e Gestão Ambiental.

Compartilhar este post

De volta para Blog